8º edição do prêmio será transmitida no próximo domingo (28).

O Globo de Ouro, premiação realizada desde 1981, também teve que se adaptar por conta da pandemia do coronavírus. O evento, organizado pela Associação de Imprensa Estrangeira de Hollywood (HFPA) e que costuma acontecer nas primeiras semanas do ano, foi adiado para o dia 28 de fevereiro.

Além disso, a pandemia também afetou os lançamentos de filmes nas salas de cinema, que se viram obrigadas a fechar as sessões e, por consequência, mudar o cenário das indicações. Como resultado, percebe-se entre os indicados uma forte presença de filmes que estrearam apenas em plataformas de streaming .

Neste ano, os indicados para os prêmios de melhores profissionais do cinema e da televisão, dentro e fora dos Estados Unidos, foram anunciados nas redes sociais e na página oficial da associação, pelas atrizes Sarah Jessica Parker e Taraji P. Henson. Para Douglas Domingues, professor de Rádio e TV do FIAM-FAAM Centro Universitário, o destaque deste ano está no streaming. “Esta é uma edição histórica, pois temos três mulheres indicadas para o prêmio de melhor direção: Regina King (One night in Miami), Emerald Fennell (Promising young woman) e Chloé Zhao (Nomadland). Além disso, disputam a premiação 16 filmes exibidos apenas nas plataformas de streaming, concorrendo em várias categorias”.

TELEVISÃO
Domingues explica que a HFPA tende a premiar novidades e temporadas de estreia, ao contrário dos Emmys, que costumam premiar temporadas finais de séries de destaque.

A maior aposta é para a série dramática The Crown, com seis indicações, seguida pela comédia Schitt’s Creek, com cinco indicações, além de Ozark e The Undoing, com quatro indicações cada.

A Netflix foi responsável sozinha por 36% das apostas na categoria televisão. Um fato que chama a atenção é que suas séries de maior destaque com o público não tiveram tantas indicações, e outras, como O gambito da rainha, ficaram apagadas.

Outras plataformas também tiveram destaque, como a Amazon, que concorre com duas indicações em melhor série de comédia, com Fleabag e Maravilhosa Sra. Maisel. A Apple TV+, apesar de ter sido lançada no último ano, marcou presença na categoria Melhor série dramática para a TV ,com The morning show. A HBO, canal tradicional nas premiações, só conseguiu sete indicações no total, bem abaixo da líder Netflix, que colecionou 21, entre séries e minisséries.

CINEMA
O professor relata que diversos estúdios protelaram o lançamento de seus filmes e as plataformas de streaming já despontavam na premiação. A Netflix brilhou com Mank, filme que acumula seis indicações, o maior esse ano. Além disso, a Amazon conseguiu lugar de destaque por conta de Borat: fita de cinema seguinteUma noite em Miami e O som do silêncio. Já a Disney conseguiu emplacar NomadlandSoulDois irmãosHamilton e A vida extraordinária de David Copperfield. A Warner teve quatro indicações, com TenetJudasO messias negro e Os pequenos vestígios, enquanto a Universal teve três, com Os Crood 2 e Relatos do mundo, parceria com a Netflix.

Para ele, causou estranheza o fato de Destacamento blood, novo filme de Spike Lee, não ter tido nenhuma indicação, justamente no ano em que seus filhos serão os embaixadores da premiação.

Devido ao contexto atípico do último ano, já era de se esperar o destaque da Netflix, mas não só por isso. As plataformas de streaming já estavam investindo pesado em buscar nomes com reputação e em produzir filmes que consigam disputar as grandes premiações.

Agora é torcer para os títulos favoritos!

* o professor Douglas Domingues está disponível para entrevistas sobre o tema.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui