Resenha | Homem-Aranha: Longe de Casa

Nota9
9
Longe de Casa consegue trazer frescor ao personagem e colocá-lo diante de novos dilemas e situações. Além disso, tem o melhor e mais marcante uso do sentido aranha dentre todos os filmes do herói!

Homem-Aranha: Longe de Casa traz o personagem no seu segundo filme solo do personagem no Universo Cinematográfico Marvel. Neste longa, Peter tem que lidar com a perda de Tony Stark, assim como a responsabilidade de estar a altura das expectativas de seu mentor.

Se em De Volta ao Lar nós vemos um Peter Parker ansioso por provar seu valor, aqui ele tenta se esquivar de maiores responsabilidades e aproveitar um pouco da vida real em uma viagem escolar ao lado de seus amigos. Porém, como sempre, as coisas nunca saem conforme o previsto e os problemas encontram um jeito de encontrá-lo.

Praticamente todos os filmes do Cabeça de Teia focam nesse ponto: balancear a vida como Peter com ser o Homem-Aranha. Longe de Casa não é diferente, mas busca trazer situações e dilemas novos o suficiente para manter o frescor. E, isso ocorre em grande parte devido ao relacionamento de Peter com seus amigos.

Antes do Aranha de Tom Holland, pouco se via do personagem em relação a sua turma de escola, ou a um maior grupo de colegas. Suas relações ficavam limitadas à antagonistas, interesses amorosos e círculo familiar, o que dificultava em vermos esse lado adolescente do herói.

O interesse amoroso da vez é Michelle Jones (ou MJ), bem interpretada por Zendaya. O que torna o relacionamento ligeiramente diferente de outras versões é que eles já foram apresentados como amigos anteriormente, portanto há uma transição mais natural, embora desajeitada da parte de ambos.

Um dos maiores méritos da direção, roteiro e do próprio Tom Holland foi conseguir corretamente posicionar o herói como um garoto, permitindo dar a ele uma maior vulnerabilidade, gerando ainda mais dificuldade para enfrentar adversidades e aumentando o senso de urgência.

O tema do filme talvez seja confiança. Afinal, é isso que o Aranha passa a maior parte do tempo buscando, já que ele não se considera bom o suficiente para os desafios impostos e encontra até mesmo dificuldades em se declarar para MJ.

O elenco como um todo está muito bem, destaque para o protagonista e Jake Gyllenhaal como Mistério. Um dos mais populares vilões do quadrinhos que ainda não havia aparecido no cinema, o personagem debuta de forma marcante. Contudo, não irei me alongar nessa parte para não estragar nenhuma surpresa.

Impressionante também foi como mantiveram tudo muito bem interligado com o Universo Cinematográfico Marvel como um todo, sempre com interessantes relações com filmes passados. Nessa pegada, temos logo no início uma breve e engraçada explicação sobre o reaparecimento daqueles que passaram 5 anos desaparecidos após o “estalo” de Thanos, assim como a relação deles com os que ficaram e envelheceram esses 5 anos.

Contando ainda com algumas cenas de ação emblemáticas e de tirar o fôlego, Homem-Aranha: Longe de Casa é um filme que evolui bem nosso herói e aumenta ainda mais seu destaque na Marvel, posicionando-o muito bem para o futuro.

Ficha Técnica
Spider-Man: Far from Home – 2019
Gênero: Aventura, Ação
Direção: Jon Watts
Roteiro: Chris McKenna, Erik Sommers, Stan Lee, Steve Ditko
Elenco: Tom Holland, Jake Gyllenhaal, Zendaya, Samuel L. Jackson, Marisa Tomei, Jon Favreau, Jacob Batalon, Tony Revolori, Angourie Rice, Cobie Smulders, Remy Hii, Martin Starr

Share