Hunters traz catarse coletiva e alude aos quadrinhos | Resenha

Hunters é mais uma série original da Amazon Prime que promete dar o que falar. Aqui acompanhamos um grupo de caçadores de nazistas nos Estados Unidos dos anos 70.

Nosso protagonista é Jonah (Logan Lerman), um jovem judeu cuja avó é sobrevivente do Holocausto. Após uma sucessão de eventos ele se vê envolto nesta caçada ao descobrir que existem nazistas de alta patente vivendo livremente nos EUA.

A premissa da série é simples e direta, mas ela navega por terreno espinhoso ao abordar fatos reais – e vexaminosos – da história americana e mesclá-los com a ficção. Afinal de contas, nazistas realmente viveram nos EUA após o fim da 2ª Guerra Mundial.

Algo que é deveras interessante e extremamente oportuno é o fato da série o tempo inteiro flertar com o mundo dos super-heróis, não a toa nosso protagonista trabalha numa loja de quadrinhos. E, isso definitivamente não é apenas um sinal dos tempos e da evidência dessa mídia na cultura moderna… Para os que não sabem, muitos icônicos personagens foram criações de judeus, como Superman, Homem-Aranha e Batman.

Os nazistas obviamente são retratados como vilões, enquanto os caçadores são como os mocinhos da história, porém as linhas entre o certo e o errado muitas vezes se confundem ao longo da narrativa e com isso surgem outros diversos paralelos com os heróis das páginas dos quadrinhos.

Ainda que puxe inspiração dos quadrinhos, Hunters também revela uma influência narrativa de diretores como Adam McKay, Quentin Tarantino e Steven Soderbergh, que ilustram suas obras com inserções oportunas que muitas vezes fogem da história central, mas sempre casam bem com o que estamos assistindo.

A história central, conforme já mencionado, segue o personagem Jonah, mas aos poucos vamos sendo apresentados aos demais caçadores e também aos nazistas antagonistas. Além disso, apesar da linha do tempo ser focada nos anos 70, temos diversos flashbacks para os campos de concentração e perseguições sofridas pelos judeus ao loga da 2ª Guerra, algo que ajuda a caracterizar mais a situação e dá mais profundidade para inúmeros personagens.

O elenco é um show a parte! Logan Lerman funciona muito bem como o jovem protagonista que está sendo inserido nesse novo contexto. Mas, temos 3 atores que realmente roubam a cena: Al Pacino, em mais uma grande atuação como o milionário Meyer Offerman; Dylan Baker, que já dita o tom na cena inicial da série como o Senador Biff Simpson; e Josh Radnor, que volta a ter papel de destaque como o ator em decadência Lonny Flash, após ter dado vida a Ted Mosby (How I Met Your Mother).

Ainda que apresente soluções fáceis para determinados problemas e não explore de forma melhor outros que mereceriam mais atenção, Hunters consegue ter um saldo amplamente positivo. Apresenta suficientes elementos para dialogar com os tempos modernos, nos dá uma sensação de catarse ao vermos nazistas sendo perseguidos por seus crimes, e providencia uma história que deixa um gostinho de “quero mais”.

Share
Nota8.5
8.5
Com bastante alusão às histórias em quadrinhos, Hunters traz não só uma catarse coletiva, como também uma narrativa relevante aos dias atuais.