Surpreendendo muitos, caiu como bomba hoje uma triste notícia para o jogador brasileiro. A Nintendo está oficialmente encerrando suas atividades no Brasil e o lançamento de produtos futuros da companhia em território nacional é incerto. O motivo da decisão é não outro senão a cruel carga tributária do país, notoriamente uma das mais desencorajadoras do mundo.

Nos anos em que atuou em nosso território a Nintendo deixou sua distribuição nas mãos da empresa Gaming do Brasil, que a partir deste mês deixará de prestar o serviço. Em entrevista ao Nintendo World, Bill van Zyll, diretor da Juegos de Video Latinoamérica, empresa panamenha dona da Gaming do Brasil, chamou a decisão de “recuo estratégico” e afirmou que a Big N estudará seu retorno ao mercado nacional. Sem fazer promessas, o diretor disse que sente muito pelos grandes títulos exclusivos que não chegarão mais ao Brasil em 2015, pelo menos não de forma legalizada. Curiosamente, o restante da América Latina continuará sendo abastecido de maneira oficial pela Juegos de Video Latinoamérica.

Com grandes lançamentos para 3DS e WiiU como The Legend of Zelda: Majora’s Mask 3D e StarFox chegando ao mercado internacional nos próximos meses, além do portátil New 3DS que ainda não apareceu oficialmente por aqui, a grande questão para os fãs é: E agora?

Quem acompanha o mercado de games no Brasil sabe que dentre as grandes empresas a Nintendo é a que menos se destaca quando o assunto é investimento local, sendo a única que decidiu não fabricar seus produtos no país, o que diminuiria sua carga tributária.

Fato é que, mesmo enfrentando as mesmas dificuldades, as concorrentes Sony e Microsoft parecem estar sobrevivendo muito bem no Brasil, com grande base instalada e muitos jogos localizados para nosso idioma, o que nos faz pensar que o problema da Nintendo envolva, além de excesso de impostos, a falta de interesse e vontade de competir.

A saída abrupta levanta inúmeras preocupações aos proprietários de consoles da empresa, que provisoriamente terão que recorrer ao suporte técnico e garantia através da HG Digital Services Ltda (hgdigital@hgdigital.com.br). Enquanto a eShop do WiiU fica sem ao menos ser lançada, a loja online do 3DS continuará no ar praticando os mesmos preços, porém mesmo o futuro dos lançamentos digitais é incerto. Além disso, os produtos físicos serão vendidos apenas enquanto durar o estoque das lojas.

Neste cenário, o que resta é torcer para que o retorno seja tão repentino quanto a saída.

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui