Desde o início da pandemia, com grande parte da população tendo que ficar em casa, houve um aumento de pessoas assistindo televisão. Como resultado, as plataformas de streaming foram a alternativa para uma nova forma de entretenimento dentro de casa. Segundo pesquisa realizada pela NZN Intelligence, 51% das pessoas buscaram por essas assinaturas por conta do valor e 33% em busca por entretenimento.

Com mais tempo em casa, fomos desafiados a descobrir novas formas de distração e passatempo, sendo o principal motivo para 30% das pessoas assinarem algum serviço de TV a cabo, jornal online, revistas ou games (Xbox Game Pass, PSN Plus e similares). Entre aqueles não contrataram serviços, 25% apontaram o valor como o principal impeditivo.

Com o streaming em alta, a Amazon Prime Video foi a plataforma que liderou o ranking de contratação de serviços de streaming durante a pandemia, com 30% da preferência do público, seguido da Netflix, com 24%, Globoplay com 7%, Telecine e HBO com 4%. Entre as pessoas que não contrataram um serviço de streaming, 57% afirmaram que já são clientes de alguma das opções.



“O isolamento social transformou as plataformas de streaming em uma das principais formas de entretenimento das pessoas confinadas em casa, que passaram a ficar mais tempo assistindo televisão. As vantagens dessas plataformas, como a Amazon, Netflix etc, é que com tantas variedades, opções e formatos, conseguem agradar e disponibilizar conteúdos para diferentes gêneros e gostos, tornando possível agradar a todos os públicos”, conta Tayara Simões, diretora de marketing e sales da NZN.



Ainda segundo a pesquisa, um dos fatores que levou em consideração na hora de contratar um destes serviços foi o preço, 54% afirmaram que contrataram as plataformas por conta do valor, 46% pela variedade do catálogo e 16% por recomendações de conhecidos.

A fim de compreender o que muda nos hábitos de consumo dos brasileiros conforme os segmentos da economia e entender o que já virou tendência em suas rotinas, a NZN desenvolveu um hub de dados para marcas e anunciantes acompanharem os principais números ligados a mudança de hábito dos brasileiros em seus setores. Também é possível que a marca faça levantamentos personalizados com o tema de interesse.

Tayara conta que a motivação para a construção do Hub Intelligence partiu do objetivo da empresa de trazer dados e informações relevantes para que marcas tenham ainda mais insumos para direcionar seus esforços de comunicação digital e suas campanhas.

Para ter acesso aos levantamentos e solicitar um estudo personalizado, acesse: http://artigos.nzn.io/habitos-de-compra-na-pandemia

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui