Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) é um filme memorável, uma experiência única que diverte e impressiona do início ao fim. O novo filme de Alejandro González Iñarritu (Babel, 21 Gramas) conta a história de Riggan Thomson (Michael Keaton brilhante no papel), um ex-astro de Hollywood que busca resgatar sua carreira produzindo, atuando e dirigindo uma peça na Broadway. No passado, Thomson fez muito sucesso com a trilogia do super-herói Birdman nos cinemas. Mas, buscando dar novos rumos a sua carreira, ele recusa retornar ao papel num quarto filme. 22 anos depois, o personagem ainda o persegue (na vida real e em sua mente como uma voz que o provoca constantemente). Com a carreira indo de mal a pior e há muito tempo sem papéis relevantes no cinema, Thomson decide então investir tudo que tem numa adaptação própria de um conto de Raymond Carver para o teatro, mesmo sem experiência alguma nos palcos.

birdman

Desde o início, o projeto parece fadado ao fracasso, a poucos dias da estréia, a produção enfrenta vários problemas: troca de atores, acidentes no palco, brigas de elenco e outras situações bizarras que prenunciam o desastre. Apesar da descrição, Birdman não é bem um drama. Na verdade, o filme – repleto de referências à cultura pop e cinema – faz rir do início ao fim, podendo ser classificado como uma comédia de humor negro. Não falta sarcasmo ao roteiro, que faz diversas piadas com a indústria do entretenimento e cultura de celebridades.

Birdman se passa durante os ensaios finais da peça de Thomson e foca nos derradeiros momentos até a estréia. A cinematografia impressiona desde o início com a decisão de Iñarritu de fazer do filme todo um grande plano-sequência. A câmera não pára durante o longa, algumas vezes parecendo até mesmo um personagem que observa curioso o que acontece no backstage. Mas, apesar da filmagem contínua, não se trata de um filme em tempo real, em que a duração do longa reflete o tempo em que os personagens viveram aqueles acontecimentos. Durante os vários dias em que se passa a história, acontecem diversas passagens de tempo e movimentos de câmera impossíveis que “escondem” os cortes e transições. 

birdman4

O filme ainda conta com ótimas atuações de todo o elenco, Keaton está genial como Reggan Thomson. A escolha dele com protagonista se mostra acertada e funciona em diversos níveis, já que as semelhanças entre a carreira de Keaton e de seu personagem são óbvias. Sendo fã do trabalho do ator, espero que esse filme (e quem sabe também a vindoura continuação de Os Fantasmas Se Divertem) o traga de volta aos holofotes. Outro que se destaca é Edward Norton no papel do ator problema Mike Shiner (outro personagem que compartilha semelhanças com a vida do ator). Mesmo com enorme talento e potencial, Norton vinha fazendo algumas escolhas erradas recentemente e andava um pouco sumido das premiações, mas em Birdman, volta à antiga forma. Seu personagem é um respeitado ator da Broadway, avesso à Hollywood, que, apesar de brilhante, tem fama de ser difícil de lidar. Shiner, que inicialmente surge como uma salvação para a peça de Thomson, acaba se mostrando uma possível bomba relógio, e protagoniza algumas das cenas mais inusitadas do filme. O elenco também conta com Emma Stone, filha de Thomson que acabou de sair de uma clínica de reabilitação, e Zach Galifianakis como Jake, amigo e agente de Thomson. Também estão no filme Naomi Watts e Laura Riseborough.

birdman3

Sem cortes e (virtualmente) sem edição, Birdman merece aplausos pela sua cinematografia. A técnica do filme é impressionante, pois, mesmo utilizando efeitos digitais para unir as cenas, as transições são imperceptíveis. Toda e qualquer cena do longa foi resultado de uma única tomada de gravação, depois reunidas numa só sequência em que não se notam as emendas digitais. Com certeza, foi uma tarefa hercúlea por parte do elenco e equipe técnica, sendo necessários muitos ensaios e takes para deixar tudo perfeito.

Mas o mérito do filme não é apenas pela técnica em si (estilismos por si só não enaltecem uma obra), mas porque as escolhas de Iñarritu e seu diretor de fotografia Emmanuel Lubezki (do ótimo Filhos da Esperança Gravidade) se mostram acertadas e acrescentam à narrativa e experiência.

birdman 7

Não tem como poupar elogios para este que talvez seja o melhor papel da carreira de Michael Keaton, e também o melhor trabalho do ótimo Iñarritu. Com texto afiado, direção e técnica apurada e atuações memoráveis, Birdman não é uma simples crítica sobre a indústria do cinema, mas sim, um divertido exercício de metalinguagem. O filme faz uma análise sobre o que é ser um ator nessa indústria, o sucesso e a necessidade de ser reconhecido. Isso tudo, sem nunca se tornar chato ou entediante, muito pelo contrário, com muito bom humor e sarcasmo, conseguindo entreter e manter nosso interesse durante toda a projeção. Com um elenco de primeira, uma linda fotografia e trilha sonora muito original (tendo como base bateria e percussão), Birdman é um filme único em sua estética e narrativa, e acerta em todos os quesitos.

Observação: O filme tem um final ambíguo, aberto à interpretações. Sem entrar no terreno dos spoilers, para alguns, pode parecer que o desfecho vai contra a própria lógica apresentada durante todo o filme acerca da voz de Birdman e seus poderes, mas eu prefiro acreditar que a cena final seja apenas uma metáfora para a conquista do personagem, que finalmente alcançou o que tanto almejava.

Ficha Técnica
Birdman ou (A Inesperada Virtude da Ignorância) (Birdman) – 2014 (EUA)
Duração: 119 minutos
Gênero: Comédia, Drama
Direção: Alejandro González Iñarritu
Roteiro: Alejandro González Iñarritu, Nicolás Giacobone, Alexander Dinelaris e Armando Bo
Elenco: Michael Keaton, Edward Norton, Emma Stone, Zach Galifianakis e Naomi Watts.

birdman6

5 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui