Resenha | O Diabo de Cada Dia

1
1046

Dirigido por Antônio Campos e baseado no livro homônimo de Donald Ray Pollock, lançado no Brasil pela editora DarkSide Books, ‘O Diabo de Cada Dia‘ é mais um considerável investimento da Netflix no campo cinematográfico, perceptível pelo elenco estelar, que conta com Tom Holland (Homem-Aranha: De Volta ao Lar), Jason Clarke (Planeta dos Macacos: Guerra), Sebastian Stan (Capitão América: Guerra Civil), Bill Skarsgård (It: A Coisa) e Robert Pattinson (The Batman).

Um pastor profano (Robert Pattinson), um casal perverso (Jason Clarke e Riley Keough) e um xerife corrupto (Sebastian Stan) são alguns dos habitantes sinistros de Knockemstiff, uma região remota de Ohio onde o jovem Arvin Russell (Tom Holland) enfrenta as forças do mal que ameaçam sua família.

A sinopse oficial diz apenas um pouco sobre o filme. A história é centrada em Arvin Russell, que perdeu os pais ainda na infância sob circunstâncias bem trágicas. Nós acompanhamos parte dessa turbulenta trajetória até o início de sua vida adulta.

Nesse aspecto, a estrutura do longa é dividida em duas partes: a introdução, que segue Willard, pai de Arvin (Bill Skarsgård em grande atuação), e depois temos o cerne da história acompanhando a jornada do nosso protagonista.

O filme traz consigo uma melancolia constante, também cercado, em grande parte, por pessimismo. Temos aqui um conto sobre como uma pessoa, de aparentemente boa índole, lida com os acontecimentos e desejos ruins que a cercam diariamente – daí o próprio título da história.

O longa também toca em assuntos bem delicados, como por exemplo a religião. Há uma crítica forte sobre como pessoas mal intencionadas exploram a fé de terceiros para seu bel prazer, mas ao mesmo tempo reconhece a importância da fé na obtenção de paz e conforto.

O elenco estelar está excepcionalmente bem! Apesar de boa parte dos atores já estarem marcados por personagens extremamente populares, todos desaparecem completamente em seus novos papéis. O destaque fica por conta de Tom Holland, que carrega o filme brilhantemente, Bill Skarsgård, que traz o peso emocional no início da história, e Robert Pattinson, que rouba a cena sempre que surge em tela.

Somente as atuações seriam suficientes para fazer o filme valer apena, mas a forma como a história de Arvin se entrelaça com os demais personagens torna a experiência ainda melhor. Tudo acontece de forma orgânica e sempre abraçando a temática proposta desde as cenas iniciais. Sendo assim, ‘O Diabo de Cada Dia’ é um filme essencial para os assinantes da Netflix.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui