Antes de mais nada, preciso dizer que o Homem-Aranha é meu herói favorito, sempre foi e provavelmente sempre será. Quase todos já estivemos no papel de deslocados, já fomos subestimados, ou em algum momento já sofremos algum tipo de bullying. Portanto, ver um super-herói que, de fato, já esteve onde nós estivemos é um fator e tanto para nos relacionarmos. Além disso, Peter Parker, ao contrário de outros heróis, não é milionário, muito pelo contrário, ele vive no aperto como a maioria das pessoas, e também não possui poderes sem limitações aparentes.

Peter Parker é quase como se eu e você nos tornássemos heróis e optássemos em fazer o que é certo. Um personagem tão real, tão repleto de dúvidas e responsabilidades, e, por isso tão imperfeito. O mais humano dos super-heróis, esse é o Homem-Aranha, e O Espetacular Homem-Aranha 2 consegue captar bem isso.

homem-aranha vs electro

O filme, apesar de nos mostrar – muito apressadamente – o surgimento de Electro como uma verdadeira ameaça ao Homem-Aranha, tem como enredo principal a culpa que Peter carrega pela morte do Capitão Stacy e como isso afeta seu relacionamento com Gwen. Aliado a isso, temos a chegada de Harry Osborn (um dos melhores amigos de Peter durante a infância), que acaba de perder seu pai, a cidade. Portanto, embora tenhamos a subtrama de Electro, são as histórias envolvendo Harry e Gwen que amarram o filme à Peter.

Peter Harry Osborn

O longa é totalmente focado no herói, ou seja, não espere um grande desenvolvimento e profundidade por parte dos vilões, muito embora Harry tenha suas próprias razões para se transformar em um. E, quem já leu os quadrinhos, principalmente o material inicial, sabe que a origem ou desenvolvimento psicológico dos vilões do Aranha não são o forte ali (salvo poucas exceções), mas sim o foco no cara ordinário que se transforma no heró.

Atormentado pela promessa que fez ao Capitão Stacy, Peter acaba se separando de Gwen logo no início da película, para piorar ela ainda recebe uma bolsa de estudos da Universidade de Oxford, no Reino Unido. Enquanto isso, somos apresentados a Max Dillon, engenheiro da Oxcorp, um homem bastante solitário, introspectivo e que desenvolve um fanatismo pelo Homem-Aranha após ter sua vida salva pelo mesmo.

aranha (3)

Por fim, também temos Harry, que passou anos vivendo no exterior e retorna a Nova York para dar o adeus final ao seu pai, Norman Osborn, assolado por uma terrível doença genética. Ao saber do retorno de Harry e que o amigo havia perdido o pai, Peter decide visitá-lo, afinal já passou pela mesma perda duas vezes em sua vida. É nesse momento que vamos descobrindo mais sobre a amizade dos dois e como realmente eram próximos, afinal nessa época seus pais também o eram.

Muito pouco é mostrado a respeito de Electro, temos nele e na performance de Jamie Foxx algo extremamente cartunesco, inclusive capaz de tirar o espectador do filme por diversas vezes. Contudo, após sofrer a transformação Foxx entrega uma atuação que revela um Homem extremamente perturbado e que vai piorando conforme as pessoas passam a vê-lo como uma ameaça. Ou seja, ele é basicamente um Homem-Aranha que deu errado e seguiu o caminho do mal, embora sua motivação seja um tanto rasa. Aliás, a moderna trilha sonora me chamou bastante a atenção, principalmente quando Electro está em cena, pois ela é combinada com o que o personagem está pensando e como isso evolui gradativamente em raiva, até seu descontrole total.

Duende Espetacular Homem-Aranha

Dane DeHaan tem um pouco mais de tempo para moldar sua versão de Harry Osborn e toda sua transformação, nos trazendo uma interpretação bem mais próxima aos quadrinhos do que James Franco, que também foi bem no papel. No longa, Harry passa por muita coisa desde a perda de seu pai e o reencontro com o melhor amigo, até sua transformação no Duende. Por ter tanta coisa acontecendo com o personagem temos a impressão de que sua jornada acontece rápido demais, e pode ser difícil para o público encará-lo como um grande amigo de Peter, pois tudo é muito corrido quando levamos em conta a história do personagem. Talvez tivesse sido mais interessante apresentar Harry ainda no primeiro filme para criar uma identificação maior.

Você pode estar se perguntando a respeito de Rino… Bom, a verdade é que trata-se mais uma participação especial do que qualquer outra coisa. O excelente Paul Giamatti não teve tempo de fazer praticamente nada, entregando apenas um vilão exagerado bem ao estilo daqueles dos primeiros filmes de James Bond.

Emma Stone And Andrew Garfield Share A Kiss On The Set Of 'The Amazing Spider-Man 2'

Como eu mencionei, Peter não simplesmente ignora a promessa feito ao Capitão Stacy, no primeiro filme. Nosso herói, parece estar em constante dúvida entre seguir o coração e ficar a mulher que ama, ou honrar a promessa e tentar mantê-la fora de perigo. Essa dúvida e confusão são perfeitamente cabíveis e aposto que qualquer um em situação semelhante também seria atormentado pelo mesmo. Por essa razão, os dois se separam, mas não deixam de gostar um do outro. Como seus caminhos continuam se cruzando, vai ficando cada vez mais difícil para o Cabeça de Teia guardar seus sentimentos. No fim, a decisão entre eles ficarem ou não juntos é feita por Gwen.

Não posso deixar de citar que Andrew Garfield e Emma Stone realmente são como imaginei que Peter e Gwen seriam, o relacionamento parece real e cercado de cumplicidade, e os personagens das HQs ganham vida nas telas dos cinemas. Foi um sopro de ar fresco poder ver o Aranha soltando suas piadas e não só enfrentando grandes vilões, mas salvando diversas pessoas no processo.

O passado dos pais de Peter também é melhor explicado, embora mal encaixado e pouco interessante, além disso ficamos sabendo a razão deles terem deixado o filho pra trás. Vale mencionar que tudo se conecta com o fato de que somente Peter poderia se tornar o Homem-Aranha, se outra pessoa tivesse sido picada por uma das Aranhas geneticamente modificadas o resultado seria completamente diferente.

Aranha vs Duende Verde

Agora é importante destacar as cenas de ação, que estão simplesmente incríveis! Quando o Aranha usa seu “sentido aranha” temos o efeito em câmera lenta, mas diferencial está no alcance muito maior. A visão de Electro também é um show a parte, pois o personagem enxerga toda a eletricidade melhor do que qualquer outra coisa. Enfim, todas as cenas com o herói se balançando entre os arranha-céus de Nova York nos deixam quase com a sensação de estar lá, por isso indico que, os que puderem, confiram o filme em 3D e IMAX.

O Espetacular Homem-Aranha 2 ainda está longe de ser o filme definitivo do herói, tem diversos defeitos, principalmente em relação a narrativa, que não é tão fluida quanto seu antecessor e possui diversos cortes brucos, claramente prejudicando aqueles que não são tão familiarizados com o universo do personagem. Como positivo, foi muito bom ver o Homem-Aranha atuando de maneira mais próxima a dos quadrinhos e tão bom quanto foi ver esse uniforme novo, sem dúvida o melhor entre todos os filmes com o personagem.

Aranha

O final abre alguns questionamentos e deixa alguns pontos mal explicados, mas torço para que consigam amarrar melhor as coisas num possível terceiro filme. Aliás, o final é o ponto forte e, se você não acompanha tanto o personagem nas páginas das HQs, vai poder captar bastante de sua essência e o que lhe dá sua verdadeira força.

 

7 COMENTÁRIOS

  1. Ola como vai ??? vc pode me falar o nome da musica que canta quando o homem aranha no filme espetacular homem aranha 2 quando o.peter fica bisbilhotando as coisas de seu pai a musica é assim ho for you for you mas eu quero.o nome ,pra poder baixar

DEIXE UMA RESPOSTA

Por favor digite seu comentário!
Por favor, digite seu nome aqui